Seis ex-chefes de Estado pediram para ex-presidente participar das eleições e o chamaram de “incansável arquiteto da redução das desigualdades”.

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, alertou hoje (16), sobre a inoportunidade do apoio de seis líderes políticos europeus à candidatura de Lula.

Aloysio Nunes, disse que líderes europeus cometem um gesto preconceituoso, arrogante e anacrônico contra a sociedade brasileira.

“Recebi, com incredulidade, as declarações de personalidades europeias que, tendo perdido audiência em casa, arrogam-se o direito de dar lições sobre o funcionamento do sistema judiciário brasileiro”, diz o comunicado do chanceler.

“qualquer cidadão brasileiro que tenha sido condenado em órgão colegiado fica inabilitado a disputar eleições. Ao sugerir que seja feita exceção ao ex-presidente Lula, esses senhores pregam a violação do estado de direito”.

“[Esses líderes estrangeiros] fariam isto em seus próprios países? Mais do que escamotear a verdade, cometem um gesto preconceituoso, arrogante e anacrônico contra a sociedade brasileira e seu compromisso com a lei e as instituições democráticas.”

Na relação dos seis ex-chefes de Estado e de Governo europeus que defendem a candidatura de Lula estão:

O espanhol José Luis Rodríguez Zapatero (ex-primeiro-ministro) e o francês François Hollande (ex-presidente da República), os italianos Massimo D’Alema (ex-chanceler), Romano Prodi (ex-primeiro-ministro) e Enrico Letta (ex-primeiro-ministro) e o belga Elio di Rupo (ex-primeiro-ministro).

Segundo os signatários, a prisão “apressada” de Lula “só pode despertar nossa emoção”. Os seis líderes afirmam que o ex-presidente foi um “incansável arquiteto da redução das desigualdades no Brasil”.

Presidente do INSS é demitido após fechar contrato com empresa de informática com sede em loja de bebidas, contrato de R$ 8,8 milhões

A demissão deve ser formalizada e publicada no “Diário Oficial da União”. A informação foi confirmada pelo Ministério do Desenvolvimento Social ao qual o INSS é subordinado.

Segundo o ministério, a demissão ocorreu após o jornal o “O Globo” revelar que Francisco Lopes contratou a empresa RSX Informática Ltda, cuja sede funcionava numa loja destinada a venda de bebidas. A empresa foi contratada para fornecer programas de computador para o INSS.

Segundo o jornal, o contrato no valor de R$ 8,8 milhões foi assinado mesmo após parecer de técnicos do INSS indicar que os programas de computador oferecidos pela RSX não terem utilidade para o órgão.

De acordo com a reportagem, depois de liberar R$ 4 milhões à empresa, sem obter nenhum serviço em troca, o presidente do INSS admitiu ter autorizado o gasto sem verificar a procedência da empresa.

Em nota, o INSS disse que o contrato com a empresa RSX foi cancelado por determinação do presidente do INSS, Francisco Lopes. A nota informa, ainda, que o INSS determinou abertura de diligências e procedimentos no sentido de esclarecer todos os fatos. “A presidência do INSS informa ainda que prestará todos esclarecimentos necessários à opinião pública e aos órgãos de controle”, disse a nota.

A RSX fica em uma pequena sala comercial, em um prédio residencial, em Brasília, e se parece com uma distribuidora de bebidas. conforme mostrou a reportagem de “O Globo”. Uma funcionária trabalha no local na organização do estoque de vinhos e atendimento por telefone. Além desta funcionária, tem um técnico de informática.

Na internet, a RSX apresenta em seu site uma lista de estatais, entidades de classe empresarial e órgãos públicos que teriam contratado seus serviços. Segundo a reportagem, a Petrobras e a Confederação Nacional da Indústria, por exemplo, seriam clientes. Procuradas pelo jornal, ambas as instituições negaram ter negócios com a RSX.

Um dos donos da RSX, Raul Maia admite não ter condições de produzir o que se comprometeu a entregar. “A gente compra a licença e revende para o cliente. Além da intermediação, nossa função vai ser a execução do serviço. Nós somos distribuidores da solução”.

Segundo a reportagem, a ideia de contratar a RSX surgiu no gabinete do presidente do INSS, Francisco Lopes. O contrato foi feito por meio de uma ata de preços, uma modalidade de compra do governo que dispensa licitação.

Lopes determinou que a empresa fosse remunerada para construir um programa capaz de fazer varreduras no sistema do órgão e identificar vulnerabilidades de segurança.

A área técnica do INSS chegou a alertar Francisco Lopes sobre o contrato quando verificou o tipo de programa de computador e o volume de recursos envolvidos.

Um relatório de 25 páginas assinado por oito técnicos apontou, entre outras questões, que não havia sido “identificada a necessidade de contratação do software”.

O relatório chamou atenção para a falta de amparo técnico ao negócio, a possível inutilidade da compra para o órgão e o risco de desperdício de recursos públicos.

G1

Fernando Gontijo: ‘Meu foco é esse: compro, vendo e alugo’, diz empresário do DF que comprou triplex atribuído a Lula

Fernando Gontijo mora em Brasília, é advogado e há 38 anos trabalha como investidor imobiliário ‘dentro e fora da capital’.

O empresário Fernando Costa Gontijo, que comprou o triplex na praia do Guarujá (SP) atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda não recebeu o documento para efetivar a aquisição de imóvel de R$ 2,2 milhões. O prazo para isso vai até sexta-feira (18), mas Gontijo disse ao G1 que fez um bom negócio.

“Meu foco é esse: compro, vendo e alugo.”

Gontijo mora em Brasília e afirma não ter nenhuma ligação com política ou com políticos. Ele é advogado, mas diz que não exerce a profissão. Há 38 anos, trabalha como investidor do mercado imobiliário – “dentro e fora de Brasília”, fez questão de frisar.

Além do depósito judicial de R$ 2,2 milhões, o empresário terá de pagar a comissão do leiloeiro, que é de 5% sobre o valor do imóvel, ou seja, R$ 110 mil. “Ele [o triplex] foi vendido pelo preço de avaliação. Eu entendi que o preço estava dentro do mercado”, afirmou Gontijo.

“Quando liberarem os gravames judiciais, após a arrematação, eu penso que ele terá uma liquidez maior.”

A aposta do investidor se baseia, além da localização do imóvel, na popularidade que ele adquiriu e no número de visualizações que o imóvel, atribuído ao ex-presidente Lula, teve no site do leiloeiro: mais de 60 mil.
“É um símbolo, é um imóvel que todo mundo no Brasil conhece.”

Lula e o triplex
O juiz Sérgio Moro ordenou a venda do triplex em leilão público em janeiro deste ano. No despacho, ele afirmou que o imóvel foi “inadvertidamente penhorado, pois o que é produto de crime está sujeito a sequestro e confisco e não à penhora por credor cível ou a concurso de credores”.

O ex-presidente Lula foi condenado em duas instâncias no processo que envolve o imóvel. Em primeira, a pena fixada foi de 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro.
Na segunda instância foram 12 anos e 1 mês de prisão, com início em regime fechado.

O político foi acusado pelo MPF de receber propina da empreiteira OAS. A suposta vantagem, no valor de R$ 2,2 milhões, teria saído de uma conta de propina destinada ao PT em troca do favorecimento da empresa em contratos na Petrobras.

Lula nega as acusações e afirma ser inocente. O ex-presidente cumpre pena, desde 7 de abril, em uma sala especial na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba.

APARTAMENTO MALDITO: Novo proprietário de triplex tem condenação na Justiça da Paraíba.

Dono do lance que arrematou o triplex no Guarujá, o empresário Fernando Gontijo também tem pendências com a Justiça. Ele foi condenado em primeira instância pela Justiça Federal por improbidade no âmbito da Operação Confraria, deflagrada na Paraíba em 2005 contra fraudes em licitações na prefeitura de João Pessoa.

Além de Gontijo, outros oito sentenciados – entre eles, Cícero de Lucena Filho (PSDB), ex-governador do Estado e ex-prefeito de João Pessoa, que chegou a ser preso na ação da Polícia Federal – devem pagar multa de R$ 852 mil.

O valor é referente ao superfaturamento de obras públicas de infraestrutura bancadas com dinheiro de convênios entre a União e a prefeitura.

Na ação, Gontijo é apontado como representante da Via Engenharia em uma licitação que teria sido fraudada. Ele recorre da decisão no Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, Gontijo afirmou que, em 2001, enquanto executivo da Via, assinou “um contrato na qualidade de procurador da empresa”.

“O contrato estava parado, inativo, mas, infelizmente, a juíza liberou o procurador de outra empresa, houve uma confusão do meu nome com o de um acionista da empresa e acabou me condenando”, afirmou ele.

“Isso não faz o menor sentido, num contrato de 20 anos atrás.

Infelizmente, a nossa Justiça é lenta, né?”, afirmou o empresário, que disse ter visto processo sobre os mesmos fatos ser arquivado na área criminal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo.

Curtindo a vida boa e luxuosa filhos do ex-presidente Lula colocam o pai em “enroscada”. Saiba qual é a roubada do papai ladrão!

Nesta terça-feira (15), a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com um pedido ao juiz federal Sérgio Moro para que autorize o desbloqueio de uma forma imediata do dinheiro pertencente a Lula e a sua esposa falecida, dona Marisa Letícia.

O juiz já havia comunicado aos advogados que liberaria o dinheiro de fundos de previdência após a defesa comprovar a origem lícita dos cerca de R$ 9 milhões que estão depositados nas contas do petista. Conforme a denúncia, Lula pode ter se beneficiado de dinheiro de propina e o juiz quer provas que o dinheiro veio de uma forma legal.

Os advogados do petista não conseguiram, até o momento, atender o pedido de Moro e decidiram insistir para que o juiz tivesse piedade de Lula , já que o ex-presidente estaria precisando do dinheiro para pagar sua defesa e ajudar a família, além de prover sua subsistência.

O problema é que uma matéria da revista Crusoé mostrou um outro lado que Lula tenta possivelmente “esconder”. Conforme a matéria, os filhos do ex-presidente gozam de vida boa e luxuosa.

A família possui apartamentos em locais nobres, carros de luxo e dividendos milionários. O filho mais famoso do petista, Fábio Luis, conhecido como Lulinha, é o mais sortudo no quesito financeiro. Ele ganha mais de R$ 70 mil por mês, entrando para a estatística dos 0,15% de brasileiros que conseguem chegar a esse patamar.

Mas Lula demonstra desconhecer isso. Lula tem se queixado a todo momento das investigações que se aproximam de sua família e sempre diz que a Operação Lava Jato tem devastado a vida deles. “Eu tenho todos os meus filhos desempregados”, disse numa entrevista. Ele ainda declarou que ninguém consegue arrumar emprego.

Defesa do petista
Os advogados insistem na tese de que a decisão de bloqueio vinda do Ministério Público Federal (MPF) é ilegal, já que os valores são considerados, segundo eles, lícitos.

Um dos argumentos usados pela defesa do petista, é que de acordo com o Código de Processo Penal, a competência em determinar o bloqueio do dinheiro deveria ser do juízo cível e não do criminal, onde se enquadra Moro.

Bens bloqueados
Em julho do ano passado, Moro determinou o bloqueio de três apartamentos em São Bernardo do Campo, um terreno e dois automóveis. Moro determinou também o bloqueio de R$ 606.727,12 que estão divididos em várias contas bancárias do petista.

O Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF-4) manteve a decisão do magistrado sobre os bloqueios, após a defesa de Lula recorrer.

Gleisi mente e garante que presidiário pode ser presidente da República (Veja o Vídeo)

A presidente do PT mente escandalosamente, sem a mínima vergonha e garante que ‘à luz da legislação, Lula pode ser candidato’ e, em consequência, ser o próximo presidente da República.

É mentira!

A Lei da Ficha Limpa não permite que Lula seja candidato.

O PT sonha em obter o registro da candidatura do presidiário e, através de ‘chicanas jurídicas’, arrastar a campanha até onde puder.

Algo ilegal e absolutamente imoral, que certamente será coibido pela Justiça.

Só Gleisi acredita nesta medíocre e desesperada encenação.

Lula estará preso no dia das eleições e o Brasil não elegerá um presidiário.

Não demora e Gleisi poderá lhe fazer companhia.

Veja o vídeo:

Delinquentes do PT já estão presos. E como fica a possível cumplicidade de Lindbergh? (Veja o Vídeo)

O ex-vereador Maninho do PT e seu filho, Leandro Marinho, assessores do senador Lindbergh Farias, que no dia 05 de abril cometeram o crime de tentativa de homicídio contra o empresário Carlos Alberto Bettoni, em frente a Instituto Lula, já se entregaram para a Justiça.

O pedido de habeas corpus para os dois petistas foi negado nesta segunda-feira (14).

A selvagem agressão foi denunciada como tentativa de homicídio e os criminosos deverão ser julgados pelo Tribunal do Júri de São Paulo.

Um fato ainda muito questionado se refere ao senador Lindbergh Farias, que estava presente no momento da ocorrência, participou de uma discussão com a vítima e nada fez para a evitar a violência.

Quem conhece o temperamento do senador sabe que ele pode ter no mínimo ignorado a ação de seus brutamontes.

Ou será que houve consentimento?

Nesse caso Lindbergh é cumplice.

É necessário a ampliação das investigações nesse sentido.

Veja o vídeo:

Delação de Palocci deve mandar Mercadante para o xilindró, e ai meus amigos, o Brasil vai virar uma grande Venezuela!

O ex-ministro Aloizio Mercadante já foi avisado e vive momentos de verdadeiro pânico.

A delação de Palocci, entre muitas outras cabeças, inclusive a dos ex-presidentes Lula e Dilma, põe a cabeça de Mercadante a prêmio.

Desolado e tremebundo, o petista colocou-se em estado de completo isolamento.

Há vários dias que recusa todos os pedidos de entrevista e sequer teria respondido ao chamado de Gleisi Hoffmann para que visitasse o acampamento Marisa Letícia em Curitiba.

É a típica reação de quem assina a confissão de culpa.

Tido como ‘esnobe’ no PT, Mercadante está apavorado com a possibilidade de ser preso.

BOMBA: Homem que pode desvendar esquema de propina em fundos de pensão fecha delação

O operador das fraudes em fundos de pensão, Edward Penn, teve a sua delação premiada homologada pelo juiz federal Marcelo Bretas.

Num sórdido esquema capitaneado pelo PT e MDB, Edward lavou no exterior R$ 45 milhões desviados do Postalis (dos Correios) e Serpros (do Serviço Federal de Processamento de Dados).

O operador utilizava de empresas de fachada do mercado de câmbio para ocultar os recursos oriundos de corrupção e repassá-los a beneficiários no Brasil, de acordo com as investigações da Operação Rizoma.

Pelo acordo, Penn cumprirá um mês em regime fechado, que já se encerrou, e mais um ano em prisão domiciliar.

No total, cumprirá oito anos e pagará multa de R$ 500 mil, mais indenização de R$ 3,5 milhões.

Sua missão na delação será esmiuçar o esquema e fornecer provas que certamente irão incriminar petistas e emedebistas corruptos.

Depois de dois anos, chinesa descobre que seu pet não era um cachorro

A raça canina Mastim tibetano é muito antiga, praticamente extinta e caracterizada por cães de porte gigante, peludos e pesados. Para se ter uma ideia, por exemplo, os machos podem medir até 71 centímetros e pesar algo próximo a 82 quilos.

É difícil encontrar esses cachorros no ocidente, mas eles são bastante populares e valorizados na China.

Por conta disso, a chinesa Su Yun, da província de Yunnan, no sudoeste do país, não tinha dúvidas que seu cachorro era de fato… um cachorro – mesmo que seu pet estivesse pesando 110 quilogramas, andasse somente usando as patas traseiras e medisse quase um metro de comprimento.

Mastim tibetano (Foto: mastino0100/ Flickr)
 Yun adotou o animalzinho durante suas férias de 2016, quando o bicho ainda era quase um filhote. Uma vez que o levou para casa, percebeu que o cachorrinho tinha um apetite voraz e comia “caixas de frutas e dois baldes de noodles todos os dias”, contou Yun ao portal The Independent.

Enquanto seu apetite crescia e seu tamanho também, o pet foi ganhando traços diferentes de um típico cão Mastim tibetano.

“Quão mais ele crescia, mais ele se parecia com um urso. E eu tenho um pouco de medo de ursos”, afirmou a dona do bichano ao Chinese Media.

A desconfiança foi ficando maior, até que Yun decidiu contatar o Centro de Resgate da Vida Selvagem de Yunnan e descobriu que seu pet não era um Mastim tibetano e nenhum outro animal da família canina. Na verdade, o que ela tinha em casa há dois anos era um Urso-negro-asiático.

Mesmo que o urso fosse mantido como um animal doméstico no lar de Yun e de sua família, os funcionários do Centro de Resgate da Vida Selvagem de Yunnan se sentiram intimidados pelo animal e tiveram que sedá-lo para transportar o bicho.

O Urso-negro-asiático (Ursus thibetanus) é uma espécie ameaçada de extinção e bastante cobiçada no mercado negro, justamente por ser utilizada na medicina e na gastronomia tradicional asiática.

Dentro de sua bile, há a substância química ácido ursodesoxicólico (que é produzida na vesícula biliar), utilizada pela ciência chinesa para tratar diferentes doenças de fígado. Esse é um método legal no país, por mais que a retirada dessa substância seja feita de maneira agressiva e em condições excruciantes para o animal.

Felizmente, esse não será o destino do antigo pet de Yun, que chegou saudável ao Centro de Resgate da Vida Selvagem de Yunnan e irá viver, finalmente, como um urso.

Com informações de IFLScience.