FINALMENTE: Marcos Valério é condenado a 16 anos de prisão no mensalão tucano

Publicitário participou de esquema de corrupção que desviou dinheiro de Companhia de Saneamento, Mineradora e do banco estatal de Minas Gerais

A Justiça de Minas Gerais condenou o publicitário Marcos Valério a 16 anos e nove meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e peculato pelo desvio de R$ 3,5 milhões de estatais mineiras, em 1998, durante a campanha à reeleição do ex-governador de Minas Eduardo Azeredo (PSDB).

Os sócios de Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, também foram condenados à mesma pena.

De acordo com decisão da juíza Lucimeire Rocha, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, assinada na sexta-feira (15), os condenados participaram do esquema de corrupção que desviou recursos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), da Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig) e do antigo banco estatal Bemge.

Os fatos ficaram conhecidos como “mensalão tucano”.

Para a magistrada, a empresa de publicidade SMP&B, que pertenceu aos acusados, dava aparência de legalidade aos recursos que eram repassados à campanha eleitoral, por meio de patrocínios de eventos esportivos.

Devido aos mesmos fatos, Eduardo Azeredo está preso para cumprir 20 anos de pena pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. Marcos Valério e os sócios também foram condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão, em 2013.

Somente Valério continua preso. Ele foi condenado a 37 anos de reclusão naquela ação.

A defesa dos acusados informou que vai recorrer da decisão.

E tem político no vídeo-vexame dos torcedores brasileiros na Rússia…

Ex-secretário de Turismo em Pernambuco integra o grupo que usa estrangeira em vídeo constrangedor gravado durante a Copa do Mundo

Um dos torcedores brasileiros presentes no vídeo que causou revolta na internet, no qual cercam uma jovem com gritos constrangedores na Rússia, é um nome com experiência política: Diego Valença Jatobá foi secretário de Turismo de Ipojuca (PE), onde está a praia de Porto de Galinhas, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Mais de uma versão do vídeo gravado durante a Copa do Mundo viralizou neste fim de semana nas redes sociais e no WhatsApp.

Nele, ao menos cinco homens estão ao lado de uma mulher estrangeira e tentam convencê-la a entoar uma expressão impublicável, que proferem aos berros.

Jatobá é conhecido no Nordeste e recebeu apoio de diversos famosos (como Bruno Gagliasso e Grazi Massafera) em um projeto social, o Por Causa, no qual cofrinhos em forma de porco são usados para colher doações destinadas a projetos de educação.

“Cadê os amigos ‘mas eu não sou machista’ falando desses homenzinhos de merda sacaneando a mina russa? Que nojo. É contra esse tipo de coisa que a gente espera que vocês se coloquem, sabe? É o mínimo.

Dar risadinha é compactuar”, postou a escritora Clara Averbuck.

ASSISTA O VÍDEO, CLIQUE AQUI.

ASSISTA O VÍDEO: Torcedores fazem Brasil passar vergonha na Rússia, não no futebol, mas com o desrespeito aos anfitriões

Cena constrangedora

Um vídeo no qual torcedores brasileiros aparecem ao lado de uma jovem na Copa do Mundo da Rússia viralizou nas redes sociais e no WhatsApp neste fim de semana.

Nas imagens, o grupo de ao menos cinco homens, alguns com a camisa da seleção brasileira, tenta convencer a moça a gritar uma frase impublicável, uma referência constrangedora a ela própria.

Trata-se da velha piada de mau gosto de fazer estrangeiros repetirem termos chulos em português. Claramente sem entender o significado do que é dito, ela tenta acompanhar os torcedores.

Um dos torcedores foi identificado: é um nome com experiência em política.

Nas redes sociais, diversas postagens acusam o grupo de assédio.

“A desculpa, como sempre, “é que é só brincadeira”. Machismo/assédio não é brincadeira”, publicou o perfil Quebrando o Tabu.

“Cadê os amigos ‘mas eu não sou machista’ falando desses homenzinhos de merda sacaneando a mina russa? Que nojo. É contra esse tipo de coisa que a gente espera que vocês se coloquem, sabe? É o mínimo.

Dar risadinha é compactuar”, postou a escritora Clara Averbuck.

ASSISTA O VÍDEO, CLIQUE AQUI.

Fim de linha para PH Amorim: Pena de prisão, salário penhorado e fuga de oficiais de justiça

A semana foi a pior possível para o jornalista Paulo Henrique Amorim.

Na quinta-feira (14), o seu último recurso foi indeferido e ele terá que cumprir a pena de prisão de um ano e oito meses a que foi condenado pelo cometimento do crime de injúria racial contra o jornalista Heraldo Pereira, da Rede Globo.

O caso aconteceu em 2008. PH criticou Heraldo alegando que por ser apenas um contratado da Rede Globo, não passava de ‘um negro de alma branca’, um negro a serviço dos brancos, um negro capacho.

Condenado já em primeira instância, o jornalista perdeu o seu último recurso no Supremo Tribunal Federal (STF).

A pena deverá ser cumprida em regime aberto, modalidade onde o apenado pode trabalhar durante o dia e deve obrigatoriamente recolher-se no período noturno, além de outras restrições e o comparecimento periódico perante a vara de execuções penais.

Paralelamente, na esfera cível, parte do salário do jornalista junto a Rede Record está penhorado com o objetivo de pagar indenizações por danos morais a que foi condenado.

Supõe-se que o patrimônio de Paulo Henrique esteja inteiramente ocultado. Colocado em nome de terceiros e em uma empresa offshore em paraíso fiscal (Ilhas Virgens Britânicas).

A vida do jornalista transformou-se num dia-a-dia de dribles em oficiais de justiça, descumprimento de decisões judiciais e na utilização de sua condição de ‘idoso’ para não assumir responsabilidades.

Além da condenação no processo crime contra Heraldo Pereira, o jornalista tem outras condenações em processos movidos pelos jornalistas Merval Pereira e Ali Kamel.

Também tem uma outra condenação numa ação movida pelo jornalista e senador Lasier Martins, a quem chamou de ‘vigarista’, ‘sabujo’, ‘agenciador de salames coloniais’, ‘porta-voz do império mafiomidiático guasca’ e ‘velhaco’. Usou as palavras ‘jornalista’ e ‘comentarista’ entre as aspas, em flagrante deboche.

Enfim, sua situação é dramática, ensejando um triste e lamentável fim de carreira.

Inacreditável e espantoso: General Eduardo Villas Boas se rende a Lula

É surpreendente, mas o comandante do Exército, General Eduardo Villas Boas irá receber em audiência na próxima quarta-feira (20) o ex-prefeito de São Paulo, Fernando
Haddad.

O detalhe trágico é que Haddad irá na condição de representante do presidiário Luiz Inácio Lula da Silva.

Mais grave ainda é saber que foi o general quem fez o convite.

O objetivo é receber todos os pré-candidatos para explicitar a posição das Forças Armadas sobre o Brasil.

Noutras palavras, é o Exército acenando que pode vir a aceitar a candidatura de um criminoso.

LULA ESTÁ FELIZ DA VIDA: Homem que já foi preso duas vezes e responde por vários crimes pode ser eleito governador

Umahistória diabólica onde até aparelhos doados para tratamento do Câncer foram recusados, para que um determinado esquema criminoso ligado à saúde prosseguisse dando retorno financeiro em forma de propina para os seus protagonistas.

É realmente inadmissível que o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, esteja aparecendo com possibilidades reais de conseguir um novo mandato de governador.

Envolvido em inúmeros casos de corrupção, Puccinelli comandou durante 16 anos uma requintada organização criminosa, que sangrou o que foi possível dos cofres públicos e comprometeu totalmente o desenvolvimento do estado.

Alimentou um esquema extremamente bem montado, que tinha um claro objetivo: ganhar muito dinheiro, enriquecer os membros da quadrilha e vencer eleições.

Homem frio, amoral e sem escrúpulo, André não mede esforços para ‘atropelar’ os seus adversários e fazer prevalecer a sua força.

Não obstante, André seja esta figura execrável, ele começa a se apresentar como candidato competitivo para o governo de Mato Grosso do Sul.

Durante os preparativos de sua candidatura, já usou tornozeleira eletrônica e foi preso duas vezes, numa delas em companhia do filho.

O seu braço direito, ex-deputado federal Edson Giroto está preso. O seu braço financeiro, o gangster João Amorim, também está preso.

No entanto, as pesquisas apontam uma disputa renhida entre o ex-juiz federal Odilon de Oliveira, André Puccinelli e o atual governador, Reinaldo Azambuja.

O ex-juiz, antes tido como franco favorito, tem sido vítima de uma terrível campanha nas redes sociais, onde tentam transformá-lo em protetor de uma organização criminosa ligada ao jogo do bicho.

O atual governador está envolvido no escândalo da JBS e tem sua origem ligada ao próprio Puccinelli. Foram parceiros durante longo tempo.

Está bem complicado para o eleitor.

Lívia Martins

Gilmar diz que Lava Jato ganhou ‘uma projeção talvez exagerada e claramente indevida’. Alguém concorda?

O ministro Gilmar Mendes, em entrevista à GloboNews teceu comentários sobre a Operação Lava Jato.

“Toda essa bem-sucedida Operação Lava Jato, que é digna de elogios, levou também ao desaparecimento da classe política, dos partidos políticos.

Por isso, ela passou a ter uma lógica própria.

Veja que a Lava Jato passou a propor medidas legais, questionar medidas judiciais, a discutir aspectos que transcendem de muito a sua própria competência, a sua própria atribuição, a atribuição dessa chamada força-tarefa”

E continuou

“Mas, sobretudo, me parece que o desaparecimento do Congresso com seu papel de contemporização, de moderação e de enfrentamento muitas vezes levou que essa organização, a Operação Lava Jato, ganhasse uma projeção talvez exagerada e claramente indevida.

Mas ela ganhou também popularidade”.

Via: republicadecuritiba.net