Arquivo da categoria: Mundo Animal

Estudante é mordida por tubarão enquanto posa para foto nas Bahamas

Uma estudante de 19 anos teve a sorte de não perder a mão após ser mordida por um tubarão da espécie enfermeiro, enquanto fazia fotos boiando rodeada de vários predadores da mesma espécie nas ilhas Exuma, nas Bahamas.

A americana Katarina Zarutskie estava viajando com a família do namorado pelo Caribe no último mês e, após um almoço na região de Staniel Cay, viu um grupo de pessoas fazendo mergulho com snorkel e interagindo com o grupo de tubarões que estava na água.

Apesar dos alertas da família do namorado, Katarina fez questão de entrar na água para tirar algumas fotos com os tubarões. A estudante contou que após alguns minutos posando, um morador da região a encorajou a deitar e boiar na água em meio aos tubarões.

Nesse momento ela foi puxada para baixo. O pai do namorado da jovem era o responsável pelos cliques e registrou tudo acidentalmente. As fotos do incidente viralizaram após Katarina compartilhá-las no Instagram nesta segunda-feira.

Modelo afunda após ser mordida por tubarão
Modelo afunda após ser mordida por tubarão Foto: Reprodução

“Do meu conhecimento anterior de surfe e mergulho, sei que os tubarões enfermeiros são normalmente muito seguros. Já vi inúmeras fotos de pessoas com eles no Instagram. As pessoas começaram a tirar fotos e assim que eu deitei para boiar, após alguns segundos fui puxada para baixo”, contou Katarina em entrevista à “BBC”.

A série de fotos feitas pelo sogro de Katarina mostram o tubarão agarrando o pulso da estudante, ela caída na água e depois em pé, segurando o pulso para fora com a outra mão para conter o ferimento e evitar que o sangue caísse no mar.

Estudante segura ferimento com a mão em meio a tubarões
Estudante segura ferimento com a mão em meio a tubarões Foto: Reprodução

“Nesse momento, o corpo tem tanta adrenalina circulando que você só tem que sair da situação, mas eu fiquei extremamente calma. Acho que se tivesse gritado ou me debatido a situação teria sido bem pior”, avaliou.

Segundo a BBC, Katarina teve que levar pontos no local da ferida e tomar antibióticos. Alguns fragmentos de dentes do tubarão ficaram no ferimento e a estudante vai ficar com uma cicatriz.

Cicatriz no pulso da modelo após mordida de tubarão

BOA NOTÍCIA: Caçadores são devorados por leões em reserva na África do Sul enquanto tentavam caçar ilegalmente rinocerontes

Um grupo de ao menos três caçadores sem autorização foi devorado por leões ao entrar em uma reserva na África do Sul para matar rinocerontes, contou reportagem do “Mirror”.

Restos humanos foram achados na terça-feira (3/8) por funcionários do Sibuya Game Reserve. Um helicóptero foi chamado ao local para encontrar possíveis outras vítimas dos felinos.

Um veterinário teve que usar tranquilizantes para que funcionários entrassem na área a fim de recuperar membros e uma cabeça.

Rinocerontes passeiam pela reserva sul-africana
Rinocerontes passeiam pela reserva sul-africana Foto: Reprodução/Facebook(Sibuya Game Reserve)

“Achamos partes de corpos e três pares de sapatos. Mas pode haver mais corpos na mata densa”, disse Nick Fox, de 60 anos, dono da reserva que permite a caça de forma controlada à AFP. “Eles vieram fortemente armados, com rifles e caça e machados. Sobrou pouca cosia deles”, acrescentou o proprietário.

A reserva é uma das mais populares na costa leste da África do Sul, com grande número de elefantes, rinocerontes, búfalos, leões e leopardos.

Pedaço de chifre de rinoceronte: afrodisíaco?
Pedaço de chifre de rinoceronte: afrodisíaco? Foto: Reprodução da internet

Em 2016, a reserva perdeu três rinocerontes para caçadores ilegais, interessados nos chifres dos animais, bastante apreciados no mercado negro e usados na medicina tradicional chinesa por terem alta contração de cálcio e fósforo. Outros acreditam que os chifres, que são feitos de queratina, têm poderes afrodisíacos.

Neste ano, já foram nove rinocerontes abatidos ilegalmente em reservas da região sul-africana.

MAIS SENSÍVEL QUE MUITOS HUMANOS: Vídeo do Chimpanzé filhote que arrebenta o coração da humanidade ao se reunir com humanos que o criaram

Um vídeo compartilhado pela Fundação Zoológica de Vida Selvagem em Miami, nos Estados Unidos, emocionou os internautas neste começo de semana:

trata-se do reencontro de um chimpanzé, Limbani, com os humanos que o criaram quando ainda era um filhote.

Segundo o The Mirror, o bichinho foi rejeitado pela mãe após o parto e pegou uma pneumonia que o deixou bastante debilitado.

Com isso, o casal Jorge e Tania cuidou dele por alguns meses até que se recuperasse.

O laço entre eles é visível: ao rever seu “pai adotivo”, Limbani começa a gritar de alegria e pula para o colo dele.

De acordo com a equipe da fundação, essa é a reação do animal toda vez que reencontra Jorge e Tania.

Animal corre para o colo de Jorge, homem que ajudou a salvá-lo quando era filhote (Foto: Reprodução/Youtube)

Veja o vídeo e se emocione, ou se isso não acontecer, pule da janela…. você não está vivo mesmo….

Caçadora gera revolta ao caçar e postar foto ao lado da raríssima girafa negra morta. E ainda vendeu a carne do animal…

A fotografia de uma americana ao lado de uma girafa negra morta que acabara de caçar em um parque da África do Sul está gerando revolta nas redes sociais. Tess Thompson Talle recebeu uma série de mensagens indignadas nos últimos dias pelo Twitter.

A mulher, que mora no Kentucky, matou o animal durante uma viagem de caça em junho de 2017, porém as imagens só se tornaram virais nos últimos dias, depois que o blog sul-africano Africland Post as compartilhou em suas redes sociais.

“Uma americana branca selvagem que é praticamente uma neandertal vem à África e dispara contra uma girafa negra muito rara, graças à cortesia da estupidez sul-africana. O seu nome é Tess Thompson Talley. Por favor, compartilhem”, escreveu o Africland Post em um tweet que foi compartilhado mais de 45.000 vezes.

Tess havia compartilhado as imagens em sua conta pessoal do Facebook. “Orações porque meu sonho de caça único na vida foi realizado hoje. Avistei esta girafa negra macho pouco habitual e a persegui durante um bom momento”, escreveu a caçadora na publicação.

“Sabia que era bom. Tinha mais de 18 anos, 4 mil libras (1.800 quilos) e fui benzida por conseguir 2 mil libras (900 quilos) de sua carne”, acrescentou Talley.

“Um animal pacífico e dócil que não fez nenhum dano. E o mata para quê? Por orgulho? Como prêmio? Pelos risos?”, “Que peça imunda de lixo americano é esta mulher!” ou “Não merece ser considerada um ser humano”, são algumas das mensagens compartilhadas nos últimos dias no Twitter, dirigidas a Tess.

A caça esportiva, que atrai pessoas de todo o mundo para transformar animais selvagens em troféus, é legal na África do Sul e gera uma grande quantidade de dinheiro para a economia do país.

Além da África do Sul, há outros países que a permitem. No Zimbábue, houve igualmente grandes polêmicas por essa prática, como em 2015, quando um dentista americano matou Cecil, o leão mais famoso do país.

A girafa, o mamífero mais alto do mundo, foi reconhecida como animal em perigo de extinção em 2016 pela União Internacional para a Conservação do Meio Ambiente (IUCN, em inglês).

Segundo os dados da IUCN, as espécies deste animal, que vive na África do Sul e Oriental, caíram de 155.000 exemplares, calculados em 1985, para 97.562, em 2015.

(Com EFE)

Facebook proíbe venda de animais na rede social: os usuários poderão denunciar as publicações de venda

O facebook atualizou sua política de comércio e agora proíbe a venda de animais na rede social.

Denuncie ao Facebook sempre que se deparar com publicações de venda de animais, seja em grupos, páginas, ou na linha do tempo de qualquer pessoa.

A opção “Denunciar publicação” é acessada através de um menu que aparece ao clicar no ícone de uma setinha pra baixo, localizado no canto superior direito de cada publicação.

Animais não são produtos. Vários abrigos ao redor do País estão lotados de animais esperando um novo lar. Não compre, adote!

ASSISTA O EMOCIONANTE VÍDEO: Homem viaja todos os dias para matar a sede de animais que vivem na seca. Conheça essa alma para refletir na sua própria vida..

O queniano Patrick Kilonzo Mwalua teve a ideia de levar água para os animais depois de ver os efeitos do aquecimento global na região onde mora.

Em vários países a chuva é escassa, e com isso animais selvagens passam longos períodos de sede.

Patrick Kilonzo Mwalua é conhecido como o “Homem da Água” e o apelido não é à toa. Todos os dias, ele leva água para animais selvagens com sede que vivem em locais extremamente secos no Tsavo West National Park, no Quênia.

Mwaula é dono de uma fazenda de ervilhas e teve a ideia de levar água para os animais depois de ver os efeitos do aquecimento global na região. “Não estamos tendo a chuva que costumávamos ter. Então, eu comecei a dar água aos animais, porque pensou: ‘se eu não fizer isso, eles vão morrer’”, contou Mwalua ao “The Dodo”.

Mwalua dirige um caminhão que leva cerca de 3 mil galões de água fresca para elefantes, búfalos, antílopes e zebras. “Não há água, então, os animais dependem dos humanos”, afirmou.

Os animais parecem saber que vão matar a sede quando o caminhão se aproxima. “Em uma noite, eu encontrei 500 búfalos esperando próximo ao local onde eu coloco água. Quando eu cheguei, eles podiam sentir. Pareciam felizes”, disse o fazendeiro.

Comovidas com a paixão de Mwalua pelos animais, um grupo de mulheres norte-americanas criou uma campanha de financiamento coletivo na plataforma GoFundMe para ajudar o fazendeiro, já que ele pretende cuidar dos animais enquanto estiver vivo.

ASSISTA O VÍDEO

Mulher transforma tribo africana com tradição em matar leões nos maiores guardiões da espécie

Quando criança, Leela Hazzah ouvia histórias de sua família da época em que dormiam no telhado ouvindo o rugido dos leões. Porém, em sua época, quando fazia a mesma coisa, não conseguia ouvir nada dos rugidos. Seu pai contou então que não havia mais leões rugindo porque eles tinham, há muito tempo, sido extintos do Egito.

Agora Leela tem 35 anos, é doutora especialista em biologia da conservação e dedica sua vida, precisamente, à conservação de leões na África. Durante os estudos, ela morava em uma casa da árvore, onde começou a observar o rápido declínio dos leões africanos devido à perda de habitats e a conflitos com humanos.

A experiência acabou levando Leela para a tribo de guerreiros Maasai, que tem tradição de matar leões. Ela passou um ano vivendo entre os Maasai para entender a relação da tribo com os animais que matavam. Então descobriu que os Maasai têm uma vida na maior parte pastoral e dependem de seus rebanhos. Usam eles para diversos fins, como para alimentar as famílias e conseguir dinheiro.

Quando perdem suas vacas (a principal fonte de subsistência), eles não têm mais nada. Os Maasai retalham e matam os leões precisamente por causa disso, o que acabou por virar uma tradição que também traz enorme prestígio para o guerreiro capaz de matar os felinos.

Com o passar do tempo, os Maasai começaram a se abrir com Leela, contando histórias. Foi aí que ela teve a grande ideia e fundou a Lion Guardians, ou “Guardiões dos Leões”, em 2007. Uma ONG que tem por objetivo transformar os guerreiros Maasai em protetores destes animais.

Leela foi visionária, e percebeu que os Maasai seriam os melhores protetores dos leões, lhes mostrou os benefícios de proteger os animais, com ênfase na preservação da cultura e métodos para reduzir o conflito entre os humanos e os leões.

Hoje ser um guardião é uma honra muito maior para as pessoas da tribo. O programa teve grande sucesso na região, impedindo em 99% as mortes de leões. “Eu sei que nós estamos fazendo a diferença. Quando me mudei para cá, eu nunca ouvia leões rugindo. Mas agora eu ouço leões rugindo o tempo todo”, diz Leela.

Depois de dois anos, chinesa descobre que seu pet não era um cachorro

A raça canina Mastim tibetano é muito antiga, praticamente extinta e caracterizada por cães de porte gigante, peludos e pesados. Para se ter uma ideia, por exemplo, os machos podem medir até 71 centímetros e pesar algo próximo a 82 quilos.

É difícil encontrar esses cachorros no ocidente, mas eles são bastante populares e valorizados na China.

Por conta disso, a chinesa Su Yun, da província de Yunnan, no sudoeste do país, não tinha dúvidas que seu cachorro era de fato… um cachorro – mesmo que seu pet estivesse pesando 110 quilogramas, andasse somente usando as patas traseiras e medisse quase um metro de comprimento.

Mastim tibetano (Foto: mastino0100/ Flickr)
 Yun adotou o animalzinho durante suas férias de 2016, quando o bicho ainda era quase um filhote. Uma vez que o levou para casa, percebeu que o cachorrinho tinha um apetite voraz e comia “caixas de frutas e dois baldes de noodles todos os dias”, contou Yun ao portal The Independent.

Enquanto seu apetite crescia e seu tamanho também, o pet foi ganhando traços diferentes de um típico cão Mastim tibetano.

“Quão mais ele crescia, mais ele se parecia com um urso. E eu tenho um pouco de medo de ursos”, afirmou a dona do bichano ao Chinese Media.

A desconfiança foi ficando maior, até que Yun decidiu contatar o Centro de Resgate da Vida Selvagem de Yunnan e descobriu que seu pet não era um Mastim tibetano e nenhum outro animal da família canina. Na verdade, o que ela tinha em casa há dois anos era um Urso-negro-asiático.

Mesmo que o urso fosse mantido como um animal doméstico no lar de Yun e de sua família, os funcionários do Centro de Resgate da Vida Selvagem de Yunnan se sentiram intimidados pelo animal e tiveram que sedá-lo para transportar o bicho.

O Urso-negro-asiático (Ursus thibetanus) é uma espécie ameaçada de extinção e bastante cobiçada no mercado negro, justamente por ser utilizada na medicina e na gastronomia tradicional asiática.

Dentro de sua bile, há a substância química ácido ursodesoxicólico (que é produzida na vesícula biliar), utilizada pela ciência chinesa para tratar diferentes doenças de fígado. Esse é um método legal no país, por mais que a retirada dessa substância seja feita de maneira agressiva e em condições excruciantes para o animal.

Felizmente, esse não será o destino do antigo pet de Yun, que chegou saudável ao Centro de Resgate da Vida Selvagem de Yunnan e irá viver, finalmente, como um urso.

Com informações de IFLScience.

Cão farejador da Polícia Militar ‘sorri’ em foto após apreensão de drogas. Que fuça mais lindinha!

Tijolos de maconha e pedras de crack foram encontrados no bairro Santa Rita, em Tatuí. Jovem de 22 anos foi preso suspeito de tráfico de drogas.

A polícia Militar aprendeeu três tijolos de maconha e porções de crack nesta sexta-feira (23), no bairro Santa Rita, em Tatuí (SP).

Quando a ocorrência foi registrada na delegacia, o cão farejador que ajudou a encontrar as drogas chamou a atenção ao “sorrir” para a foto.

De acordo com a polícia, uma equipe fazia patrulhamento, quando abordou um rapaz de 22 anos, que, ao ver a viatura, dispensou alguns sacos plásticos e tentou fugir. Com ele, nada de ilícito foi localizado.

Porém, com a ajuda do cão farejador, os policiais conseguiram localizar três tijolos de maconha, seis pedras de crack e anotações do tráfico que tinham sido jogados pelo suspeito.

Ainda segundo a polícia, no total foram apreendidos três tijolos de maconha, seis pedras de crack e anotações do tráfico.
O jovem, que já tinha passagens por roubo e tráfico foi preso em flagrante e encaminhado à delegacia da cidade, onde está à disposição da Justiça.

‘Extrovertido’
De acordo com a polícia, o cão é da raça pastor-belga e batizado de Max. Ele está há quase cinco anos no Canil e desde filhote ele ajuda nas apreensões de droga.

Ainda segundo a polícia, ele sempre se destacou por ser “extrovertido”.

SIMPLESMENTE LINDA A ATITUDE DOS AMIGOS DOS ANIMAIS: Bicho-preguiça e filhote são resgatados em Niterói

RIO – Agentes da Coordenadoria de Meio Ambiente da Guarda Civil de Nitéroi resgataram uma preguiça, na tarde deste domingo, no bairro Rio do Ouro. O animal, que machucou a pata durante a queda de uma árvore, estava abraçada ao um filhote.

O resgate aconteceu após uma ligação de moradores do bairro para o número 153 que atende no Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp).

Segundo a prefeitura, a preguiça e o filhote foram encaminhados para o Instituto Vida Livre em Maricá, onde passarão por um períodp de tratamento para serem reintegrados ao seu habitat natural.

De acordo com o coordenador da Guarda Ambiental, Edson Jorge Martins, ao chegarem ao local os guardas perceberam que o animal estava debilitado por conta da queda e foram informados por moradores que a preguiça tentava várias vezes subir na árvore e não conseguia.

“Os moradores agiram corretamente. Toda vez que um animal silvestre for encontrado e, principalmente, se estiver ferido, o melhor é não o tocar e acionar nossa equipe. Durante o resgate os guardas tiveram todo o cuidado para que ela não caísse novamente, prejudicando seu estado.

No final, tudo deu certo. Os animais foram acolhidos, passam bem e quando a mãe estiver totalmente restabelecida poderá ser reintegrada à natureza junto com o filhote”, explicou, em nota, o coordenador.

A prefeitura ressalta que, caso a população encontre algum animal silvestre fora do seu habitat natural ou precisando de cuidados, acione o CISP através do número 153 ou mobilize a Guarda Ambiental.